Blog copy

O DEGRAU DA FARMÁCIA

Me lembro de um dia, em que estava sentada em minha cadeira do renomado escritório de advocacia em que trabalhava e, no período da manhã, já me sentindo sem energia, escrevi uma mensagem para uma grande amiga que trabalhava ali perto, no marketing de uma grande construtora, a convidando para almoçar. Ela aceitou o convite e combinamos o horário.

Sempre tentávamos ir a lugares que “não parecessem São Paulo”! E o que era isso de verdade? Eram lugares em que houvesse um pouco da lembrança de natureza, um vaso de flor, que fosse; em que as mesas e cadeiras fossem um pouco mais confortáveis; as luzes não fossem tão incômodas, te convidando propositalmente a comer bem sua fast food e ir embora logo; onde as pessoas não falassem tão alto e de modo afobado e agressivo e não chegassem e saíssem correndo, para não perderem tempo, onde a comida fosse um pouco mais natural e saudável. Não havia muitos lugares assim por ali, mas fomos em um desses poucos.

Chegamos, conversamos um pouco sobre as amenidades daquele momento e, como sempre fazemos juntas, até hoje, passamos a falar de assuntos mais existenciais, profundos e intensos, sobre o que estávamos sentindo de verdade, acerca do rumo que nossa vida estava tomando e sobre o que realmente gostaríamos de viver. Uma certeza é que não era quilo que estávamos vivendo naquele momento.

Acontece que o medo de inovar, arriscar, mudar todo aquele cenário era grande e os sonhos acabavam parecendo irrealizáveis e os relegávamos àquele plano do intangível. Seria realmente possível não apenas ir de vez em quando, mas sim, viver em um lugar que “não parecesse São Paulo”, em meio à natureza, com conforto e simplicidade, em meio a mais silêncio, interno e externo, sem pressa, comendo e vivendo de maneira mais saudável?

Foi então que essa grande amiga me falou que uma vez conheceu uma menina que trabalhava em uma farmácia, no interior de São Paulo e que todos os dias, no final da tarde, ela sentava nos degraus da farmácia para assistir ao espetáculo do pôr do sol…..Ficamos em silêncio as duas, por alguns instantes, suspiramos, fechamos os olhos e nos imaginamos nesse degrau de farmácia, tendo a oportunidade de assistir ao pôr do sol, sem pressa e com frequência…Foi um deleite efêmero e logo retornamos ao momento presente, pagamos a conta do restaurante, tomamos um café apressado e seguimos de volta à “vida real”.

Após esse dia, a possibilidade de sentar no degrau da farmácia virou para nós uma metáfora do que poderia ser uma vida mais saudável! Brincávamos com isso “- Ah, imagina a gente agora, sentadas no degrau da farmácia” mas, de fato, passamos a perseguir, por vezes consciente e por vezes inconscientemente, o degrau da farmácia!!!

E a maneira para mim, de tornar isso possível, foi começar a dar passos no sentido que eu realmente queira seguir!!!! Não era a minha intenção trabalhar em uma farmácia ou onde quer que fosse, mas sim poder desfrutar da vida como a menina da história fazia!!! E essa metáfora me ajudou imensamente a iniciar o processo!

Percebi que eu empenhava toda minha energia naquela vida que eu havia construído para mim e que era a vida que eu não queria viver, mas que eu achava que precisava sustentar e achava que não poderia mudar nunca! Me sentia condenada a viver algo e não percebia que quem havia me condenado era eu mesma! Ou seja, só eu poderia revogar essa condenação! E graças a Deus!!!

Então, o primeiro passo foi entender porque eu achava que precisava sustentar aquela história! E, ao olhar para isso, não demorou para ver que eu vivia aquela vida para agradar milhares de seres, menos eu mesma! E por medo de fazer diferente do que me foi ensinado e tudo dar errado! Assim, a decisão de soltar foi fácil. Difícil parecia tomar uma atitude e fazer uma transição efetiva! E eu tinha pressa! Tinha pressa em ser feliz!

O fato é que até hoje estou procurando o degrau da farmácia! Fugi para Piracanga, um paraíso na Terra onde morei por um ano, logo ali na Sul da Bahia. Depois fugi para onde moro atualmente, outro Paraiso, o Alto Paraíso de Goiás, onde o pôr do sol é maravilhoso e mesmo assim, ainda não consigo sentar no degrau da farmácia, parando o movimento interno e externo, para apreciar o espetáculo do recolhimento do sol!!!

Assim, há duas conclusões que quero partilhar: (i) a primeira, é que o degrau da farmácia e o sossego para assistir ao pôr do sol, moram dentro da gente! Essa foi a descoberta mais assustadora e maravilhosa que tive! Assustadora porque, realmente, tive que parar para olhar o que esta desarranjado dentro de mim e me impede de sentar nesse degrau da farmácia – e maravilhosa porque se nada fora de mim me impede de sentar nos degraus da farmácia, apenas eu mesma, eu posso tomar as atitudes necessárias, e não preciso esperar nada nem ninguém mudar ou fazer algo! (ii) a segunda é que, enquanto não começamos a trilhar o caminho no sentindo que queremos seguir, nunca vamos nos aproximar de nosso sonho!! Então, a reflexão seria: quais passos você está dando no caminho da sua verdade? Da verdade profunda que seu coração te convida a viver? Se não for nenhum, PARE tudo!!!! Agora! Respire profundamente, olhe para dentro de você e se pergunte, sem qualquer julgamento, o que você gostaria de estar vivendo agora? Qual o caminho que te leva a esse sonho? Você está dando um passo, que seja, nesse caminho? Se não, aproveite que já está parado mesmo, olhe para o sonho e qual a direção a ser seguida em seu sentido!!! E DÊ O PRIMEIRO PASSO!!!! Quanto mais energia colocarmos em nosso sonho, mais ele se torna passível de se realizar!!! Isso é física, rapaziada, não é misticismo!!! Carro sem combustível não anda!!!!! Abasteça seu sistema de MOTIVAÇÃO e AMOR e comece a trilhar o caminho dos seus sonhos!!!

Para te consolar, eu parei de enrolar e estou seguindo no caminho em direção ao meu sonho, de verdade, há exatos 2 anos e 4 meses!! E não sinto que cheguei em um lugar específico, como eu havia projetado no inicio da caminhada!!!!! Mas se quer saber, esse sonho mudou de forma mais de mil vezes já, porque eu mudei de forma mais de mil vezes desde que comecei esse caminho! E cada vez mais vejo que o sonho é me sentir realmente livre e feliz, independentemente da forma! E cada vez mais, sinto que a felicidade está em caminhar, em trilhar esse caminho! Em viver cada momento fazendo algo que me motiva, que me faz sentir tudo que eu havia me anestesiado para não sentir! E a cada passo que dou na direção da minha verdade, fico mais leve, feliz, motivada e animada!!!! E cada passo que dou é um bloco de energia a mais que invisto nesse sonho e assim, ele vai ficando cada vez mais forte!!!!

Viver livre e feliz não exige nenhuma fórmula mágica, mas sim empenho, coragem, honestidade, dedicação, paciência e uma bela dose de bom humor!!!!

Hoje meu sonho tem forma circular e vibra muita energia incrível! São as Mandalas, que vem para o mundo da matéria através de mim!! E o seu?!!! Partilhe aqui e vamos juntos REALIZAR MUITOS SONHOS!!!!

PS: Obriga a Aline Vieira, minha irmã, amiga, parceira! TE AMO e te aguardo para sentarmos no degrau da farmácia em breve!! (( ;

 

Classificado como: